Tecnologia

Prefeitura de São José validará imagens do primeiro nanossatélite

São José dos Campos - As imagens orbitais do VCUB serão aplicadas na gestão municipal pela Prefeitura, que já é uma das pioneiras na utilização destes recursos

Nesta quinta-feira (31), a partir das 10 h, acontece no Parque Tecnológico de São José dos Campos, a solenidade de assinatura do Termo de Cooperação Tecnológica entre a Prefeitura de São José dos Campos e a empresa Visiona Tecnologia Espacial, que permitirá a utilização pela Prefeitura de imagens orbitais do VCUB, o primeiro nanossatélite desenvolvido pela indústria brasileira para observação da Terra e coleta de dados. O lançamento do satélite está previsto para 2020.

A Prefeitura de São José dos Campos une-se à rede de parceiros envolvidos no desenvolvimento do satélite e de suas aplicações, que conta atualmente com instituições como Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Santa Catarina, a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EmbrapII), o governo de Santa Catarina, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (Cprm).

Gestão municipal

Segundo João Paulo Campos, presidente da Visiona, “diante da relevância de São José dos Campos como polo de ciência e tecnologia do país, em particular no setor aeroespacial, acreditamos que a cidade terá um papel fundamental na validação e desenvolvimento de aplicações de satélite na gestão municipal”.

Atualmente, o município de São José dos Campos está na vanguarda do uso desta tecnologia no país e vem desenvolvendo projetos de alta tecnologia com o uso de imagens de sensoriamento remoto, no âmbito de projetos como o Observa, em parceria com a Visiona, que consiste no uso de imagens de altíssima resolução para o monitoramento, fiscalização e controle ambiental do território visando combater a degradação ambiental, e mais recentemente o Geosanja, plataforma que reúne dados geográficos do município para consulta e download pelos cidadãos.

O VCUB, no futuro, poderá se juntar ao arsenal de ferramentas já utilizadas aumentando ainda mais a sua efetividade e expandindo o uso para outras áreas de aplicação como no monitoramento ambiental de uso e ocupação do solo, acompanhamento de obras de grande porte e mesmo para a identificação de áreas sujeitas a proliferação de mosquitos.

A cerimônia reunirá autoridades, representantes das empresas envolvidas e cientistas.

Projeto
O nanossatélite VCUB baseia-se numa plataforma CubeSat 6U de 10 kg com dimensões de 30 x 20 x 10 cm e traz o estado da arte em tecnologias de pequenos satélites. A missão permitirá o desenvolvimento e validação de tecnologias espaciais pela Visiona e seus parceiros, com destaque para os sistemas de navegação, guiagem e controle (Aocs), de supervisão de bordo (Obdh) e de rádio definido por software (SDR) concebidos pela Visiona, as principais lacunas tecnológicas da indústria espacial brasileira.

O projeto incorpora uma arquitetura de sistemas modular e escalável, que poderá ser utilizada em satélites de maior porte no futuro, permitindo a incorporação de mais tecnologias nacionais às missões do Programa Espacial Brasileiro.

Equipado com uma câmera óptica multiespectral com resolução melhor que 4 metros e 4 bandas espectrais e de um sistema de coleta de dados reconfigurável via software, o satélite será capaz de realizar missões antes destinadas a satélites de porte bem superior. Sua câmera utiliza tecnologias só encontradas em satélites de grandes dimensões, o que lhe permitirá gerar imagens com qualidades radiométrica e geométrica superiores às encontradas no mercado, fatores fundamentais para aplicações agrícolas e de proteção do meio ambiente. Seu sistema de coleta de dados pode operar tanto no sistema Sbdc (Sistema Brasileiro de Coleta de Dados) como em outros protocolos, o que torna o VCUB uma plataforma ideal para aplicações de Internet das Coisas (IoT).

Sobre a Visiona
A Visiona é uma Empresa Estratégica de Defesa de capital e controle nacionais formada pela Embraer e a Telebras para a integração de sistemas espaciais. Criada em 2012 para atender os objetivos do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) e do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE), a empresa foi a responsável pelo programa do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas, o SGDC, sendo a empresa líder no mercado brasileiro de sensoriamento remoto orbital.

Tags: Prefeitura  de  São  José  validará  imagens  do  primeiro  nanossatélite