Economia

Preços de eletrônicos disparam durante pandemia, aponta Zoom

Internacional - A quarentena exigida como medida preventiva ao novo coronavírus tem causado uma série de mudanças e efeitos tanto na vida cotidiana como na sociedade como um todo. Entre essas mudanças, a permanência em casa tem impactado os setores do comércio, principalmente na internet.

O trabalho em casa, estudo à distância, e até mesmo as compras aleatórias para quebrar o tédio, tem causado um grande crescimento pela demanda de eletrônicos dos mais variados tipos, e tem colocado pressão nos estoques e centros de distribuição de empresas e lojas digitais, de janeiro a maio houve aumento de 65,7% no comércio eletrônico.

Um exemplo marcante é o preço de webcams, câmeras fundamentais para vídeo chamadas, que chegaram a triplicar de preço desde os modelos mais simples até os equipamentos profissionais, efeito associado à grande demanda por teleconferências. No entanto, a alta dos preços não está limitada somente à câmeras, confira.

Preços acima da média

A plataforma Zoom, agregadora de preços na internet, publicou um levantamento analisando as tendências de compra e preços no mercado brasileiro, dividido em três etapas: Fevereiro à 12 de março, representando o período anterior à pandemia, 13 de março à 22 de abril, observando o início das medidas de isolamento, e 22 de abril até 1 de junho, representando a fase de reabertura parcial do comércio, mesmo contra as recomendações de especialistas da saúde.

O preço de videogames, aparelhos com demanda maior devido ao tempo em casa, era de em média R$ 1.546,00 antes da pandemia, mas aumentaram em 32% saltando para R$ 2.040,00. Câmeras digitais também observaram crescimento de até 29%. Outros aparelhos que subiram de valor foram impressoras, computadores, fones de ouvido, alto-falantes inteligentes, e laptops.
Além da quarentena, a alta no valor do dólar comercial também aumentou consideravelmente os preços em território nacional. O New Nintendo 2DS, por exemplo, console portátil dedicado ao público infantil e com preço acessível no exterior, saltou de R$ 850,00 para até R$ 2.000 em lojas digitais como o Mercado Livre, tudo graças aos custos elevados de conversão do dólar e importação, além da alta demanda.

Como obter preços melhores

Com o trabalho reduzido e os preços maiores, fica difícil controlar a fatura do cartão de crédito no final do mês. Mas algumas dicas podem ajudar o consumidor a economizar um pouco ao pechinchar preços na internet.

Tornando a conexão anônima
Um dos recursos usados por grandes lojas varejistas digitais é a coleta de dados de navegação do usuário, para ajustar os preços com base em estimativas de gasto mensal, interesse e necessidade. Por exemplo, uma rede de anúncios pode notar seu interesse em um laptop e informar aos sites de venda, que descobrindo sobre sua demanda, podem elevar os preços. Por isso, o investimento em uma ferramenta que torna a conexão anônima como uma VPN pode contribuir para reduzir os preços em grandes lojas de venda digital.
Mesclando navegadores
Outra forma aliada para combater o rastreamento digital e os preços abusivos é testar diversos navegadores. Por exemplo, se você pesquisou por um videogame usando o Google Chrome, considere fazer a compra usando o Mozilla Firefox, pois isso impede que o uso de cookies permita que os varejistas acordem os preços entre si e escondam descontos.

Buscadores de ofertas
Os serviços buscadores de ofertas separam todas as opções de compra para um mesmo produto, organizando por preço menor e exibem o histórico de preços nos últimos meses, assim, você pode saber se está comprando num período de alta ou baixa. Diversos estão disponíveis para o público brasileiro, como o Zoom, Buscapé, Baixou e PromoBit.


Preços mais baixos
Apesar de tudo isso, algumas categorias de produtos mantiveram estabilidade dos preços ou até mesmo apresentaram quedas. Por exemplo, os tablets sofreram queda de 3,5% e celulares também acompanharam o declínio nos preços.

Dessa forma, uma dica valiosa para o consumidor nos tempos atuais é repensar modelos antigos de trabalho que podem ser substituídos por alternativas mais baratas. Ao invés de comprar um laptop com alta de preços, um celular moderno pode ser usado no home office para realizar com praticidade muitos dos trabalhos que associamos aos computadores tradicionais, com um peso menor no bolso.

Outras formas de aproveitar a mudança de paradigma durante a quarentena são os aplicativos de entrega, como Uber Eats e iFood, que oferecem aos usuários promoções e descontos na hora de matar a saudade de comer em restaurantes. E aplicativos como a Loggi e Uber Flash permitem até mesmo o transporte de carga de forma mais rápida e barata, quando comparados aos métodos tradicionais pré-quarentena.
Conclusão

O isolamento social é essencial para o combate efetivo ao novo coronavírus e tem sido aplicado no mundo inteiro. Com ele, diversas mudanças sociais e de mercado causaram impacto na vida do consumidor brasileiro. É importante se atentar às tendências de mercado para evitar pagar mais do que o normal, e também aproveitar as mudanças positivas que podem surgir nesse momento de crise. Algumas dicas rápidas também podem te ajudar na hora que precisar de uma compra online. Conheça também o CPF digital, que pode mudar a forma como encaramos documentos.

Tags: Preços  de  eletrônicos  disparam  durante  pandemia  aponta  Zoom