14/06/2024 19:11

Aquabus começa a funcionar em ‘operação assistida’ neste fim de semana em Ilhabela

Foto: PMI

Ilhabela anunciou que neste final de semana (18 e 19 de maio), os três Aquabus que compõem o novo sistema de transporte aquaviário da cidade estarão em operação assistida, das 9h às 16h. Nesta operação, o serviço será gratuito.

Segundo a prefeitura, inicialmente serão realizadas operações assistidas para garantir a eficiência do serviço. Posteriormente, nos próximos dias, o sistema entrará oficialmente em operação, proporcionando uma alternativa de transporte tanto para os residentes quanto para os visitantes. O itinerário inicial incluirá os píeres da Praia Grande, Barra Velha, Perequê, Engenho D’Água, Vila (Centro Histórico) e Ponta Azeda.

O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, expressou sua satisfação com o início da operação. “Após os Aquabus serem resgatados de uma marina na cidade vizinha, depois de mais de cinco anos de abandono conseguimos reverter essa situação e, em breve, entregaremos mais uma opção de transporte público de qualidade para a cidade”, afirmou.

Este novo sistema de transporte aquaviário é totalmente acessível a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. As embarcações têm capacidade para aproximadamente 60 passageiros sentados e são equipadas com ar-condicionado e TVs de tela plana. Para garantir uma navegação segura e eficiente, os Aquabus contam com motores modernos e sistema de GPS.

Durante a operação assistida deste fim de semana, 18 e 19 de maio, o trajeto será gratuito e a Prefeitura irá realizar uma pesquisa de satisfação do serviço. Após o início oficial do sistema, o valor da passagem será equivalente ao do transporte urbano, com planos de integração com os ônibus da cidade por meio do Bilhete Único.

As embarcações que entrarão em operação, nomeadas “Elpídio Sampaio”, “Edgar Lúcio” e “Zé de Alicío”, prestam homenagem aos caiçaras que trabalharam no antigo sistema de travessia de lanchas entre São Sebastião e Ilhabela.

A história do Aquabus

Compradas pela Prefeitura de Ilhabela em 2015 – penúltimo ano da segunda gestão do prefeito Toninho Colucci – por R$ 4,5 milhões, as três embarcações nunca entraram em operação. Um dos motivos era a necessidade de adaptação dos píeres para o embarque dos passageiros.

Em 2019, o então prefeito Márcio Tenório sugeriu a cessão das embarcações à Dersa, o que não ocorreu. Posteriormente, ao assumir o governo, a ex-prefeita Gracinha Ferreira anunciou a realização de um estudo de viabilidade e um possível leilão, o que também não aconteceu.

A marina onde as três embarcações estavam atracadas no Rio Juqueriquerê, em Caraguatatuba, entrou na justiça contra a prefeitura. Em 2022, já na terceira gestão do prefeito Toninho Colucci, um acordo com redução de 50% do valor solicitado pela marina foi anunciado, permitindo a manutenção e recuperação dos equipamentos.

Gostou do conteúdo, compartilhe agora mesmo!

Leia também

Veja também