24/04/2024 13:30

Black Friday: Jacareí dá dicas para o consumidor não cair em “Cilada”

Black Friday

Com a chegada do fim de ano e o estímulo às compras com a Black Friday, em promoções lançadas por lojas físicas e on-line, o Procon de Jacareí dá dicas para o consumidor realizar boas compras e evitar problemas no orçamento. O órgão também chama a atenção em relação à troca e devolução de produtos, direito previsto no Código de Defesa do Consumidor.

Endividamento

No que se refere ao consumo consciente, a diretora do Procon, Aline Fabri, ressalta que, quando o assunto é “promoção”, cabe ao consumidor uma reflexão para não engrossar o índice de superendividamento no país. “Tratando-se de descontos, muitas vezes compramos por compulsão. Por isso, antes da compra, é importante analisar se existe, realmente, uma vantagem na oferta ou se trata apenas de uma armadilha de desconto”, comenta.

Black Friday

A diretora explica ainda que essa prática é comum no comércio e precisa de atenção do consumidor: “Por exemplo, a loja tem na vitrine ou no site a ideia de desconto, quando na verdade, o preço se mantém o mesmo, ou pior, está até mais alto”.

Dicas Black friday

Para auxiliar os consumidores nas compras de fim de ano, o Procon de Jacareí preparou algumas dicas:

– Pense se a compra é realmente necessária;

– Planeje se o gasto caberá em seu orçamento;

– Faça uma pesquisa do histórico de preços do produto;

– Saiba de quem você está comprando, para evitar cair em golpes;

– Em casos de sites, verifique se está disponível o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), telefone de contato, endereço e CNPJ;

– Fotografe vitrines e printe a tela do celular, tablet ou computador e seus respectivos preços, para que assim, possa comparar se está diante de uma real redução de valores.

Black Friday

Trocas e devoluções

Vale ressaltar que o Código de Defesa do Consumidor garante o direito de troca ou devolução, no prazo de sete dias, para compras realizadas fora do estabelecimento comercial, como por exemplo, aquisições feitas em sites, telefone ou em domicílio, desde que o vendedor não porte o produto à pronta entrega.

Já os produtos adquiridos na loja física, cumprem a política de troca dos respectivos estabelecimentos, exceto em casos de defeitos, que existe a garantia no CDC, conforme artigo 26. Os prazos para reclamação de defeitos aparentes e de fácil constatação, são de 30 dias para produtos não duráveis, como é o caso de alimentos. Por sua vez, os produtos duráveis, como automóveis ou máquinas de lavar roupas, possuem prazo de 90 dias, a contar da entrega efetiva do produto.

Black Friday

Produto com Defeito

Caso o produto esteja com um defeito que não seja possível constatar de forma imediata, mas que apareça repentinamente no momento da utilização, o prazo é de 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para produtos duráveis, a partir da data que o defeito é constatado pelo consumidor.

Black Friday no Brasil

Segundo o Wikipédia, a primeira Black Friday do Brasil aconteceu no dia 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online. A data reuniu mais de 50 lojas do varejo nacional.

Em 2013, a Black Friday no Brasil bateu seu recorde, faturando R$770 milhões em comércio online. Os produtos mais almejados são televisores e smartphones. A média de desconto para aparelhos celulares foi de 16% e para televisores chegou a 19%.

Segundo a consultoria E-Bit, em 2014, a data gerou R$1,2 bilhão em vendas somente na internet, que corresponde a 3,5% do faturamento anual, consolidando assim a Black Friday como uma das datas mais importantes para o comercio online.

Para evitar práticas fraudulentas, como a maquiagem de preços e falsos descontos, a câmara brasileira de comércio eletrônico (Câmara e-net) criou o código de ética para a Black Friday e publicou uma lista com as lojas participantes que foram regulamentadas segundo as normas da cláusula.

Outra ótima opção para não cair em armadilhas de falsas promoções é utilizar comparadores de preços como a Econovia e o Buscapé que oferecem um histórico de preços dos produtos de até um ano.

Fraudes 1

Apesar de fraudes serem comuns e cada vez mais frequentes, a black friday brasileira não pode ser manchada apenas por este ponto de insatisfação, existem sites de promoções sérios dispostos a ajudar consumidores comuns a encontrar promoções verdadeiras pela internet, com o número cada vez mais crescente de ofertas, estas ferramentas que são verdadeiras comunidades, se mostram extremamente úteis em ajudar os consumidores a economizar tempo e descobrir novas ofertas verdadeiras.

Assim como nos Estados Unidos, a Black Friday Brasil acontece anualmente na sexta-feira seguinte à quarta quinta-feira de novembro. Há registros de que o evento também aconteça em lojas físicas, pelo menos no Brasil e Estados Unidos[13]. Outro problema sério que ocorre no Brasil são os descontos “maquiados”, ou seja, as lojas sobem o preço alguns dias antes da Black Friday e abaixam no dia do evento, alegando “megadescontos”.

A segunda edição da Black Friday, em 25 de novembro de 2011, rendeu um faturamento de 100 milhões para o e-commerce brasileiro, representando um incremento de 80% em relação ao ano de estreia país. Após o sucesso de vendas da Black Friday, o Cyber Monday também foi importado para o Brasil.

O terceiro Black Friday ocorreu em 23 de novembro de 2012, em mais de 300 lojas virtuais, e foi a primeira vez que lojas de decoração participaram do evento. As empresas Carrefour, Walmart, Extra, Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Saraiva e Fast Shop também foram notificadas pelo Procon por indícios de maquiagem nos descontos.

O evento não tem regulamentação, nem organização centralizada. Qualquer empresa, tanto virtual quanto física, pode fazer promoções com o nome Black Friday. A procura pelo termo ‘Black Friday’ em 2013 cresceu mais de 300% em relação a 2012, o que levou muitas agências de publicidade a se colocarem como centrais oficiais do evento.

Em 2016, as vendas cresceram 17%, chegando à R$2,1 bi, mas acabou decepcionando muitos lojistas, que esperavam um crescimento ainda maior, freado por conta da crise econômica enfrentada no país.

Em 2017 a Black Friday ocorreu no dia 24 de novembro. Somente no Brasil, a Black Friday gerou um faturamento de R$ 2,1 bilhões para o e-commerce. Uma alta de 10,3%, levando em consideração o mesmo período do ano passado.

Fraudes 2

Apesar da proposta do evento, alguns lojistas elevam deliberadamente o preço dos produtos antes da Black Friday para poder anunciá-lo por um preço mais baixo durante o evento, de modo a fazer o consumidor acreditar que está fazendo um bom negócio. Por conta disso, o Procon de diversos estados do país realizam o monitoramento dos preços a fim de evitar fraudes.

De acordo com um estudo realizado em 2014 pela Opinion Box em parceria com o Mundo Marketing, três em cada quatro internautas brasileiros pretendiam aproveitar a data para realizar compras online. Apesar de vários outros números positivos apresentados pela pesquisa, foi constatado que 42% dos entrevistados ainda desconfiavam dos descontos oferecidos no Black Friday.

O Procon-SP iniciou em 2013 uma listagem de e-commerces não confiáveis. Trata-se de uma Lista de sites que devem ser evitados principalmente na Black Friday, pois tiveram reclamações de consumidores registradas no órgão, foram notificados e não responderam ou não foram encontrados.

Gostou do conteúdo, compartilhe agora mesmo!

Leia também

Veja também