18/05/2024 09:35

Plano SP impõe restrições até 4 de janeiro e volta o Estado à fase amarela

O governo do Estado anunciou nesta segunda-feira (30) que todas as regiões paulistas retornam à fase amarela do Plano São Paulo de controle sanitário e flexibilização econômica até o dia 4 de janeiro. A medida visa reduzir o contágio e evitar pressão sobre o sistema de saúde durante o enfrentamento da pandemia de covid-19. A nova fase passa a valer a partir de quarta-feira (2).

Com o regresso geral para a terceira das cinco fases do Plano SP, atividades como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público.

O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a 10 horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela.

Cronologia

Desde o dia 6 de outubro, a Grande São Paulo e as regiões da Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté estavam na fase verde, a penúltima prevista pelo Plano SP.

A Prefeitura de São José reforça o apelo para que toda a população mantenha o engajamento e a mobilização para conter a pandemia, evitando e reforçando as medidas de higiene, como lavar sempre as mãos e usar máscaras em locais públicos.

O prefeito Felício Ramuth e o secretário de Saúde, Danilo Stanzani, participaram de uma live na noite de ontem nas redes sociais para explicar melhor as decisões do governador João Dória, que explicou nas redes sociais que tomou essa medida de que todo o Estado passasse para a fase amarela do Plano São Paulo, após o aumento no número de internações e uma cuidadosa análise dos indicadores epidemiológicos da pandemia, através do Centro de Contingência do Coronavírus.

São Paulo tem menor taxa de ocupação de UTIs entre os estados mais afetados pela pandemia.


O que está permitido na fase amarela

Shoppings, galerias e semelhantes

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Praças de alimentação (ao ar livre ou em áreas arejadas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Comércio

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Serviços

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Consumo local, bares, restaurantes e similares

  • Somente ao ar livre ou em áreas arejadas
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Consumo local até as 17h
  • Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos.

Salões de beleza e barbearias

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Academias de esportes de todas as modalidades

  • Ocupação máxima limitada a 30% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Agendamento prévio com hora marcada
  • Permissão apenas de aulas e práticas individuais, mantendo-se as aulas e práticas em grupo suspensas
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Eventos, convenções e atividades culturais

  • Permitido após a região ficar ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela (apenas caso a região tenha avançado das fases laranja ou vermelha).
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Obrigação de controle de acesso, hora marcada e assentos marcados
  • Venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas, desde que respeitados protocolos sanitários e de distanciamento
  • Assentos e filas respeitando distanciamento mínimo
  • Proibição de atividades com público em pé
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Demais atividades que geram aglomeração

  • Não permitido

 

Foto: Charles de Moura/PMSJC: Fiscais da DFPM e agentes da Vigilância Sanitária irão fiscalizar as atividades econômicas durante a fase amarela do Plano SP.

 

Gostou do conteúdo, compartilhe agora mesmo!

Leia também

Veja também