25/05/2024 10:23

Social: São José realiza ações para reforçar atividades na cidade

social

Social: A Prefeitura de São José dos Campos, em parceria com o Polo Irradiador de Cultura de Paz, reforça atividades na cidade, e promoveu nesta sexta-feira (12) workshop de capacitação profissional com 40 funcionários da Sasc (Secretaria de Apoio Social ao Cidadão) que atuam nos CRAS (Centro de Referência em Assistência Social), no Creas (Centros Especializados de Referência Social) e com representantes de OSCs (Organizações da Sociedade Civil) que mantêm convênios com a Administração municipal.

Com o tema “Encontros Sistêmicos na Sasc: Um Olhar para Além dos Conflitos”, foi realizado na Casa do Idoso Sul. Foi o primeiro de uma série de quatro workshops, presenciais e on-line, que serão comandados pelo promotor de Justiça Fábio Rodrigues Lima até o próximo dia 10 de dezembro.

Durante três horas e meia, os funcionários da Sasc e representantes das OSCs parceiras participaram de vivências em grupo em que debateram temas sobre o olhar sistêmico da realidade, a postura adotada na vida pessoal e como trabalhar as dinâmicas ocultas dos conflitos daqueles que atendemos em nossa profissão.

Foram abordadas ferramentas sistêmicas aplicáveis nos locais de convivência, com integração de equipes e maior eficácia na prestação do serviço e nos relacionamentos pessoais.

O workshop tratou de aspectos práticos sob a ótica da postura sistêmica, que poderão ser aplicados no dia a dia para que os servidores públicos possam agir de forma assertiva e equilibrada.

“Foi muito enriquecedor, com um olhar mais aprofundado sobre as relações pessoais, profissionais e familiares. Ampliou nossa compreensão sobre as dinâmicas que envolvem as relações do dia a dia”, disse a gestora de parcerias da Sasc, Jacqueline Sette.

social

Força Social

Para o promotor de Justiça Fábio Lima, os quatro workshops serão fundamentais para que os servidores municipais possam aprimorar o serviço prestado à população.

“O primeiro objetivo é o olhar interno. Ou seja, que postura devo adotar para fluir mais no meu propósito de vida, melhorando as relações com minha família e no meu trabalho. Quando nos abrimos para as mensagem de tudo que a vida nos traz, ganhamos um nova postura frente aos nossos desafios”, afirmou Lima.

“Fortalecemos as pessoas que atendemos em nossa profissão quando trabalhamos as suas dinâmicas ocultas. Somente através de vivências podemos internalizar esta postura sistêmica, que será transmitida no dia a dia.”, completou o promotor.

social

Cultura de Paz

O Polo Irradiador de Cultura de Paz de São José dos Campos foi criado em 2018 com o objetivo de irradiar a cultura de paz por meio da postura sistêmica, respeitando os valores, saberes e ações já existentes nas diversas áreas de atuação (educação, saúde, assistência social, segurança, Justiça, comunidade e outros).

O grupo mantém parceria com a Prefeitura e já foram realizados seminários e workshops em outras secretarias municipais, como a Proteção ao Cidadão.

O Polo Irradiador de Cultura de Paz também tem como finalidade ser fonte de referência como canal de mudança pessoal, profissional, institucional e social por meio da postura sistêmica, constelação familiar e movimentos essenciais.

são realizados seminários, workshops, cursos, vivências e projetos dirigidos a profissionais da rede de proteção e órgãos públicos e à sociedade em geral.

É composto por órgãos das áreas de educação, saúde, assistência social, segurança, Justiça, comunidade e outros. Saiba mais no link.

social

Workshops na Sasc

Tema: “Encontros Sistêmicos na Sasc: Um Olhar para Além dos Conflitos”

Próximos encontros:

Dia 19 de novembro
Das 9h às 11h30 (on-line)

03 de dezembro
Das 8h às 11h30 na Casa do Idoso Sul (avenida Andrômeda, 2601, Bosque dos Eucaliptos)

10 de dezembro
9h às 11h30 (on-line)

Social: O que é CRAS?

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) é um equipamento público no qual são oferecidos serviços, programas e benefícios com o objetivo de prevenir situações de risco e de fortalecer os vínculos familiares e comunitários.

O Sistema Único de Assistência Social (SUAS) está organizado por meio de uma rede de proteção social, que pode ser básica ou especial. As unidades que ofertam serviços e programas desse sistema descentralizado e participativo são chamados de CRAS e CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social).

Cada um dos equipamentos públicos citados acima possuem suas especificidades. Falaremos, neste texto, apenas do equipamento destinado à proteção básica, o CRAS.

Para que serve o CRAS?

Agora que você já sabe o que é CRAS, vamos entender em detalhes para que serve.

Constituindo-se como uma referência para a comunidade, um espaço de convivência e a porta de entrada para os serviços da Assistência Social no SUAS, o objetivo principal do CRAS é desenvolver as potencialidades, o protagonismo e a autonomia dos indivíduos.

A palavra-chave que define o centro de referência é a prevenção, pois é nesse equipamento que a população que se encontra em situação de risco e vulnerabilidade, mas ainda com vínculos familiares preservados, é atendida.

O que é oferecido no CRAS é diferente do que é ofertado aos usuários atendidos pela proteção social especial no CREAS, no qual os indivíduos se encontram em uma situação de risco pessoal ou social, em que seus direitos foram violados ou ameaçados.

Os serviços ofertados no CRAS são divididos da seguinte forma:

Serviço de proteção social básica no domicílio para pessoas com deficiência e idosos
O volume maior dos serviços prestados está concentrado no PAIF, que consiste em atender a família, acolher e entender qual o seu contexto, elencando vulnerabilidades e traçando estratégias para suas superações.

Vale destacar que o trabalho da equipe do CRAS não se restringe apenas ao seu espaço físico. Encontros podem ser organizados com a comunidade em outros equipamentos públicos para debater assuntos como, moradia, drogas e violação de direitos. Além disso, existem as visitas efetuadas pelas assistentes sociais aos domicílios das famílias.

Acesso ao CRAS

As famílias e indivíduos que necessitam de proteção social básica podem acessar o CRAS de três maneiras. São elas:

Encaminhados por outros setores públicos, como educação e saúde, ou pela própria rede socioassistencial.
Por meio de busca ativa da equipe de referência do CRAS. As famílias podem ser localizadas através de visitas aos domicílios ou atendimento no próprio equipamento.

A procura pode ser orientada pelos territórios que apresentam maior número de vulnerabilidades, e que comumente não acessam os serviços de maneira espontânea. Procura pelo indivíduo ou pela família de forma voluntária, solicitando o atendimento diretamente no CRAS.

Equipe do CRAS

As equipes de referência são as responsáveis por organizar a oferta dos serviços, programas, projetos e benefícios disponibilizados no CRAS.

Gostou do conteúdo, compartilhe agora mesmo!

Leia também

Veja também