12/04/2024 14:13

Vale: 3 lugares na Serra da Mantiqueira para se divertir e curtir a natureza

Vale

Vale: 3 lugares na Serra da Mantiqueira para se divertir e curtir a natureza. O Vale do Paraíba é uma região que nos presenteia com cenários deslumbrantes, rica gastronomia, hospedagens rústicas aconchegantes e, claro, um mergulho por (muita) história.

Viajar pela região serrana do Vale, cujas altitudes variam entre 300 e 1.628 metros, é embarcar numa jornada que preserva o passado ao mesmo tempo em que rascunha o presente. É uma união muito bem-vinda entre uma parte da memória nacional com o turismo moderno.

São Francisco Xavier, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, Monte Verde e a“Suíça brasileira” que encanta o coração dos turistas no inverno, Campos do Jordão. Ao longo do caminho, museus, cervejarias, restaurantes, hotéis e até um parque nacional.

Fazer aula de yoga e um piquenique nos gramados da rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123) se aventurar de mountain bike pelos arredores de Monte Verde, assim como visitar o Museu Felícia Leirnere descobrir paisagens naturais foram algumas das experiências que tive o prazer de realizar em meio aos atrativos locais.

Como se não bastasse, provar comidas e bebidas tradicionais e se hospedar em locais históricos, como Pousada Varandas da Mantiqueira – que é um atrativo por si só são mais evidências de que a Serra da Mantiqueira tem muito a oferecer.

O que fazer em São Francisco Xavier

Nós só ficamos dois dias lá, chegamos sábado à noite e saímos segunda à tarde. Conseguimos fazer passeios muito legais, mas se tivéssemos mais tempo, ainda teria muita coisa para explorar. Vou contar aqui todos os detalhes da nossa estadia, sem deixar de falar das outras opções que você pode escolher e adequar de acordo com seu perfil.

Vale

Trilha Pedra da Onça

O que fazer em São Francisco Xavier

Percurso: 11km

Duração: 4h30 a 5h ida e volta

Altitude: 1.960m

Dificuldade: média/difícil

Preço: de graça

Nossa ideia inicial era fazer a travessia até Monte Verde, mas conversando no camping descobrimos que o ideal era ter um guia, já que em um trecho (o Bosque dos Duendes) a navegação é complicada pra quem não conhece bem o caminho. Então, resolvemos fazer só uma parte da trilha e chegar até a Pedra da Onça (também conhecida como mirante).

A trilha é autoguiada e não tem como errar, mas é bom ter um certo preparo físico, por que tem muuuuita subida e o terreno não é dos mais tranquilos, porque tem muita pedra, árvore caída e trechos com mato invadindo o caminho. Logo logo vou publicar um post com todas as informações de percurso, esforço, tempo de caminhada e como chegar até lá. Por enquanto, te garanto que o visual lá de cima e o sentimento de “dever cumprido” fazem valer todo o esforço.

Vale

Cachoeira Pedro Davi

Com várias quedas d’agua e a maior de todas com 15m, a cachoeira Pedro Davi é linda e tem bons lugares para banho, além de estrutura completa para o turista, com trilinhas asfaltadas, corrimão e banheiro. Confesso que antes de ir nós ficamos com um certo preconceito, imaginando que o lugar era urbanizado demais… mas erramos! Apesar de ter toda essa estrutura que eu falei, a natureza do lugar continua super preservada e a cachoeira é linda.

Vale muito o passeio, principalmente pra quem prefere não se embrenhar no mato. hahaha

Como chegar: Estrada para Joanópolis, a 3 km do centro (tem placa no centro!)

Preço: É a única que não precisa pagar para entrar!

Cachoeira Pouso do Rochedo

Fica dentro de uma propriedade particular onde funciona um hotel. Para entrar é preciso pagar uma taxa de $R20 por pessoa (sim, é um absurdo!) que dá direito a visitar todos os pontos turísticos do complexo: 8 cachoeiras e 4 mirantes. Eles te dão um mapinha e explicam o percurso.

Pra quem quer conhecer as cachoeiras, a trilha tem 2km, dura 1h30 e é bem fácil, só tem uma subida no começo e outra no final. O local é muito bem cuidado e preservado e as cachoeiras são lindas, principalmente a última – cachoeira Santa Bárbara – que é enorme!

Já a trilha dos mirantes  dura em média 3h e tem quase 4km, com muito mais subidas. Nós infelizmente não conseguimos fazer essa trilha, por que tínhamos horário para sair do camping, mas com certeza a vista é bem bonita.

Campos do Jordão

Campos do Jordão reúne atrações naturais, históricas e de arte, com opções para gostos variados. Confira quais pontos turísticos não podem ficar de fora do seu roteiro.

Vale

PARQUE AMANTIKIR

Nos 60 mil m² de parque, há 26 jardins e 700 espécies de plantas para serem contempladas pelo público. O local do Vale do Paraíba (inspirado nos jardins da Europa, dos Estados Unidos e do Canadá) atrai, desde 2007, desde turistas até pessoas da área de paisagismo e botânica. Se você quer relaxar e apreciar a natureza, não deixe de ir!

Valor: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Horário de funcionamento: das 8h às 17h.

Endereço: Rod. Campos do Jordão, 215 – Gavião Gonzaga.

Vale

MUSEU FELÍCIA LEIRNER

O Museu Felícia Leirner reúne obras de arte da artista de mesmo nome e o auditório Cláudio Santoro. São 85 esculturas em bronze, cimento branco e granito, que retratam as formas da natureza e se dividem entre cinco fases. Já o auditório, com capacidade para 814 espectadores, é sede do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão e recebe atrações musicais durante todo o ano.

Valor: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), com entrada gratuita aos domingos.

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 18h.

Endereço: Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1880 – Alto da Boa Vista.

Santo Antônio do Pinhal

Quando falamos que Santo Antônio do Pinhal tem a cara de um destino romântico, não é atoa. Para começar pelo nome da cidade, que vem de uma capelinha que foi construída na cidade em 1811, e dedicada ao santo casamenteiro, Santo Antônio de Pádua.

A altitude também ajuda: bem no coração da serra da Mantiqueira, a 1080 metros de altitude, Santo Antônio tem as montanhas emoldurando o cenário de uma vista deslumbrante.

Vale

Fazenda Água de Capoeira

Mas se o seu negócio é aventura, Santo Antônio do Pinhal não desaponta: que tal se aventurar em um voo livre?

Ah, vale dizer: apesar de ser uma cidade bem pequena, os restaurantes de Santo Antônio do Pinhal também agradam bastante. Recomendamos bastante, e também lugares para provar cerveja artesanal em Santo Antônio do Pinhal.

O centro de Santo Antônio do Pinhal é bem pequeno, mas repleto de atrações para visitar caminhando. Você pode visitar a maioria desses pontos turísticos a pé, numa caminhada gostosa pelo charmoso centro da cidade.

Vale

Praça do Artesão

Praça Benedito Marcondes Raposo, ou como é mais conhecida, a Praça do Artesão. É ali que acontece, aos finais de semana, uma feirinha de artesanato com produtores locais do Vale, por isso o apelido.

A decoração da praça é temática, em homenagem aos imigrantes japoneses. Há um Tori e um Jardim Japonês, com a emblemática ponte vermelha – as fotos por lá ficam show.

Gostou do conteúdo, compartilhe agora mesmo!

Leia também

Veja também